quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Inaudição


Foi aquele som
aquele som inaudível
que transpassou
com milésimos de segundo a minha alma.

Foi aquele som,
cumprimento na penumbra,
que se plantava e não colhia
que se lembrava e ao mesmo tempo se esquecia.

Foi aquele som
a despedida,
o ser real das disparidades,
o leito eterno dos desencontros,
a calma despedaçada,
a alma em chamas,
o sentimento oprimido,
o desabrigado na calçada.


Olavo Barreto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que o teu sim seja sim; e o teu não seja não. (Mt 5,35)